Pular para o conteúdo principal

Entrevista: Lúcia Lemos

Olá mochileiro!

Hoje vou mostrar para vocês a entrevista que fiz com a Lúcia Lemos, parceira do blog e autora de "Aika, a Canção dos Cinco". A Lúcia foi super gente boa e concordou na hora em responder às minhas perguntas!
Ah, mas quem é Lúcia?
Lúcia de Paiva Lemos, tem 22 anos, nasceu no dia 1° de abril, mora no Rio de Janeiro, é técnica em multimídia e graduanda em Comunicação Visual e Design pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Aika é seu primeiro livro e, além de ter feito o maior sucesso no Wattpad, está disponível na Amazon - se você tem Kindle Unlimited, pode ler o livro de graça. 
Então, vamos às perguntas:

1) Quais as principais inspirações para escrever Aika?
R: Aika surgiu de uma crise insônia. Na época, eu estava descobrindo os animes, mangás e livros de fantasia. Tudo era muito novo, estava fazendo novos amigos e descobrindo um mundo inédito e divertido. É disso que nasceu a ideia original de Aika. Embora a história tenha mudado bastante com os anos, junto ao meu próprio crescimento, acredito que essa coisa de descoberta de um novo mundo e a paixão por este estilo ainda seja sua base. Outras inspirações foram livros de fantasia medieval, filmes e trilhas sonoras de animes/filmes favoritos.

2) De onde surgiu o nome "Aika, a canção dos cinco"?
R: Originalmente, o livro se chamava "Aika e o anjo de asas rubras e douradas". Como não há o conceito de anjo em Gattai, eu desisti desse título e sofri pra achar um novo... chegou a se chamar "Aika - sob a fênix e o dragão", mas decidi optar por "A Canção dos Cinco" devido a um momento especial do livro (que não falarei para não dar spoiler). Ah, e o nome Aika pode ter dois significados distintos em japonês. Essa dualidade faz parte da simbologia presente na história e explicá-la perde a graça xD

3) Os personagens foram inspirados em alguém que você conhece?
R: Indiretamente, todo autor se inspira em algo real. Kurikara tem muito de mim em particular, principalmente suas tristezas, inspiradas nos momentos mais difíceis que passei e como me via em relação ao mundo. Mas seu jeito de agir foi inspirado em um rapaz que conheci no ensino médio que fazia de tudo e sempre é muito justo em tudo que faz, além de ajudar muito em casa (isso ainda é raro e me encantou.). Aika é a heroína que sempre quis ser: destemida, gentil e capaz de superar seus problemas. Contudo, somos muito diferentes apesar dela carregar muitas memórias reais minhas do meu tempo de descoberta dos animes e mangás. Um dia contarei quais foram todas as cenas... Já a Riko teve a personalidade modificada para se parecer com uma colega minha de faculdade que me ensinou a me maquiar e a me vestir bem (pois é, eu não sabia dessas coisas) e que disse que nem toda mulher tem que ser um machão ou um cosplay de homem de para ser uma guerreira forte e respeitada. Acabou que Riko ficou com um pouco do gestual dela, uma mulher bruta e independente que às vezes acaba sendo grossa demais até com os amigos. Adicionei a ela um toque de mãezona porque essa minha amiga me "protegia" nas festas da faculdade... Iruka teve sua construção final inspirada também num garoto otaku que conheci no ensino médio que fazia muitas piadas, mas sofria por ser o irmão do meio, pois em suas próprias palavras "não tinha os privilégios do mais velho nem os mimos do mais novo". Lis, que aparecerá no livro 2, é inspirada numa garota real que ajudou a criar Aika. A partir daqui, mais revelações serão spoilers da saga u_u

4) Como foi o processo de escrita do livro? 
R: Houve a primeira versão em 2009, que não tem absolutamente nada a ver com a atual e foi escrita em um ano. Depois a história ficou parada até 2013, quando voltei a escrever o livro seriamente, com metas de x páginas por dia e desenhando junto com os capítulos. Nem sempre seguia a disciplina e o livro foi reescrito quase cinco vezes até a atual versão, que considero a de 2015. Agora, com o livro 2, seguirei a risca a meta de terminar o livro todo antes de fazer as artes.



5) Você sempre quis ser escritora?
R: Desde criança queria escrever e ilustrar meus próprios livros. Desisti disso no ensino médio com medo de ficar pobre (uma ideia idiota, diga-se de passagem) e voltei a ter este sonho quando entrei na faculdade, em 2013. Aí não desisti mais.

6) Você tem algum autor que te serviu como inspiração (no modo de escrever)?
R: Acho que o que mais me influenciou em narrativa de livro foi o David Almold, com o livro Skelling, depois a J. K. Rownling, Tolkien e minhas deusas, a Lian Hearn (autora de A saga Otori) e a Úrsula K. le Guin (autora do Ciclo do Terramar).

7) Durante a escrita, passou por algum bloqueio criativo?
R: Tantos que perdia a conta! Por sorte alguns sonhos apareciam para me ajudar ou ele desaparecia depois de uma semana... Mas a disciplina foi a grande arma contra o bloqueio. Escrevendo todo dia, você se condiciona a criar. Pelo menos contribuiu melhor para mim.

8) Como você se sente, sabendo que Aika faz tanto sucesso no wattpad?
R: Muito emocionada! Tinha medo de que tudo fosse em vão.

9) Qual o seu conselho para quem quer escrever um livro? 
R:Escreva todos os dias, reescreva se necessário, busque inspiração em tudo e não desista!

10) Para ti, quem é Lúcia Lemos?
R: Uma garota sonhadora, ansiosa, que gosta de desenhar, cantar no chuveiro e fazer um pouco de tudo; além de ter um lado dark e fã de metal em conflito constante com um lado dragão-colorido-saltitante-escandaloso.  

Então, mochileiros, essa foi a entrevista! O melhor é saber que a Lúcia, assim como eu, tem o lado dark e o lado "dragão-colorido-saltitante-escandaloso" hahaha. Se você se interessou pela autora, veja o Instagram dela aqui. Veja a página de Aika no Facebook e adquira o seu na Amazon.


Espero que tenham gostado da entrevista... Deixe seu comentário, ele é muito importante! 


Não esqueça de conhecer o Instagram do Mochila Literária.

Comentários

  1. Que entrevista linda *----* obrigada pela oportunidade :D

    ResponderExcluir
  2. Também gostei muito. Continuo firme na opinião de que é só uma questão de tempo para Aika assumir seu lugar de best seler em todas as livrarias! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico ansiosa pelo dia que vou chegar na livraria e encontrar Aika haha <3

      Excluir
  3. Turundurun durun durun parascundim cudim guidum

    ResponderExcluir
  4. Lorena, que entrevista incrível! Amei as perguntas e as respostas. Adoro essas entrevistas,conhecer mais sobre os autores que nos enchem de amor com suas histórias é maravilhoso! Até aproxima leitor e escritor ❤
    Já ouvi falar do livro e da autora, lendo seu post, agora quero ler *-*

    Beijo, beijos
    relicariodehistoriasma.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é ótimo conhecer um pouco mais deles! saber o que inspira, qual é a realidade...
      Leia mesmo, voce vai gostar!

      Beijos, Lorena

      Excluir
  5. Adorei a entrevista, ótimas pereguntas e respostas.
    Gosto dessas entrevista para conhecer um pouquinho mais das autoras.
    Tenho visto algumas fotos do livro e marcadores no insta, achei a capa muito fofa!

    beijos
    www.doceestante.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dayse!
      Que bom que gostou. As artes do livro foram desenhadas por ela!
      Beijos, Lorena

      Excluir
  6. Oie!

    Nunca tinha ouvido falar dessa escritora! Amei a entrevista, muito boa!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gio!
      Que bom que gostou, a Lúcia é um amor!
      Beijos, Lorena

      Excluir
  7. Oi, Lorena! Estou com esse livro aqui para ler, então essa entrevista complementou a minha vontade de ler e me deixou ansiosa para iniciar! Conhecer a autora por trás da obra é algo muito interessante, suas perguntas foram pertinentes e a entrevistada respondeu-as muito bem! Parabéns pelo post ;D

    Um beijão, Carol
    Blog com V.

    ResponderExcluir
  8. Oie! Tudo bem?

    Gostei de conhecer um pouco mais da autora e do processo de criação dela, e amei a dica dela para os novos escritores, o problema é seguir a risca suas metas! Eu quem diga! kkk

    BJss

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poker com o Diabo

Título: Poker com o Diabo Páginas: 106 Autor: Ítalo Guimarães Ano: 2016 Editora: Garcia Sinopse: O diabo esteve entediado em seu mundo, então decidiu fazer um jogo memorável: uma partida de poker! Selecionou a dedo seus adversários entre os residentes do inferno para que o jogo fosse perfeito. O prêmio? A liberdade do sofrimento eterno! mas quem conseguirá vencer o Senhor do Abismo? Sem trapaças... apenas a sorte.Nesta história de suspense e horror pessoal, descubra como a alma humana pode esconder segredos mais obscuros do que se possa imaginar.

Mulheres que Não Sabem Chorar

Título: Mulheres que Não Sabem Chorar Páginas: 210 Autora: Lilian Farias Ano: 2016 Editora: Giz Sinopse: A vida de Marisa é regida pelo controle. Seja à frente do seu trabalho ou da vida dos filhos, ela é racional, mantendo-se sempre fria, um ser à parte das banalidades, cuja única preocupação é ser um exemplo. Olga é sua antítese. Sentimentos à flor da pele, dor flagelando a carne, pensamentos embaçados pelo esquecimento proporcionado pelo álcool. Sozinha, preocupa-se em apenas ser, em um mundo cercado por fatos que não reconhece mais como seus. Enquanto isso, Ana e Verônica esbarram com o acaso. Duas senhoras solitárias, vizinhas e antagônicas. Será que um dia alguém acharia que poderiam viver em paz? Mais ainda, será que poderiam se apaixonar? Duas jovens livres e independentes. O que as impede de ficar juntas?  Mulheres que não sabem chorar é mais que uma história de amor entre iguais. Junto a estas personagens tão humanas, o leitor vê-se despido dos preconceitos, pudores e medos. Ora …

Sophia, Alexia e o Mundo Além Daqui

Título: Sophia, Alexia e o Mundo Além Daqui Páginas: 298 Autora: Brenda Bernsau Ano: 2016 Editora: Jaguatirica
Sinopse: Uma caixinha de música quebrada. Foi o que Sophia e Alexia, duas crianças que vivem em um vilarejo afastado, herdaram da avó que as criou. Isso, e o forte vínculo que uma criou pela outra. O objeto, que inicialmente parecia inútil, mostra ser possuidor de grandes poderes quando as crianças conhecem Prisca, uma irmã da falecida avó. Através da magia da caixinha, ambas são transportadas para um mundo onde há dois sóis, criaturas fantásticas de todas as espécies e uma natureza impensável. No entanto, as irmãs acabam sendo separadas por forças maiores e, tendo de sobreviver uma sem a outra, elas enfrentam numerosos desafios. Sophia acaba por ser amaldiçoada e, para quebrar o feitiço, tem de coletar as melodias dos poentes, enquanto que Alexia perde a memória. E, para agravar ainda mais a situação, o mundo maravilhoso está em colapso. Agora, apenas se superando, contando com a…